Pix: tudo o que você precisa saber sobre esse novo meio de pagamento

Pix: tudo o que você precisa saber sobre esse novo meio de pagamento

Pix: tudo o que você precisa saber sobre esse novo meio de pagamento

Você já sabe do que se trata o Pix e como ele será utilizado tanto por pessoas físicas quanto jurídicas?

 

Com lançamento previsto para o dia 16 de novembro, o Pix se apresenta como uma nova forma de se fazer transações bancárias. Agora, transferências e pagamentos poderão ser feitos em poucos segundos.

 

Deste modo, os usuários não precisam mais esperar até mais de um dia para que as suas operações bancárias sejam feitas. Isso porque, as opções encontradas hoje, como o TED e DOC, possuem algumas restrições.

 

Sendo assim, o que você acha de compreender melhor como o Pix vai impactar no momento de fazer transações bancárias?

 

Acompanhe o nosso artigo e descubra tudo o que você precisa saber sobre este novo meio de pagamentos, o Pix. Leia com atenção e tire todas as suas dúvidas!

 

Confira também o nosso conteúdo acerca do assunto Qual é o papel da contabilidade no terceiro setor?

 

O que é o Pix?

O Pix foi anunciado ainda no início do ano pelo Banco Central. No entanto, do que se trata esse novo meio de pagamentos e o que muda no momento de fazer operações bancárias?

 

Na prática, o Pix se apresenta como um meio de pagamentos que possibilita a realização de transações bancárias em tempo real. O que inclui também transferências entre dois bancos distintos.

 

Ou seja, agora os usuários não precisam mais esperar mais de um dia para que as suas operações sejam concluídas. Em alguns casos, ainda é necessário pagar uma taxa para as transações bancárias.

 

Deste modo, o Pix, diferente de opções como DOC e TED, permite que todas as suas transferências e pagamentos sejam feitos 24 horas por dia, em qualquer dia da semana. Com isso, o seu intuito é trazer mais praticidade e baratear as operações.

 

Para que os usuários possam utilizar o Pix, eles não precisam fazer um cadastro ou até mesmo baixar um aplicativo. O seu uso é dentro do próprio app da instituição financeira que oferece esse meio de pagamento.

 

Ele não é uma nova conta bancária, mas sim uma opção disponibilizada por bancos, fintechs e outras organizações.

 

Portanto, que tal compreender melhor como o Pix vai funcionar? Continue acompanhando e descubra todos os detalhes do seu funcionamento.

 

Além disso, leia também o nosso artigo sobre o assunto Por que ter um contador para uma ONG ou Associação?

 

Como é o funcionamento do Pix?

Atualmente, os usuários encontram opções como o DOC ou TED para a realização de operações como transferências bancárias.

 

Contudo, eles encontram uma série de restrições, como a possibilidade de fazer suas transações somente em horário comercial e em dias úteis.

 

O intuito do Pix é facilitar a realização de tais operações, uma vez que ele se apresenta como um novo meio de pagamentos que possibilita que transferências sejam feitas de forma rápida e barata.

 

Deste modo, o Pix, diferente das opções encontradas hoje, não possui restrições, podendo ser utilizado em qualquer dia e horário. Ou seja, todas as suas possibilidades são feitas em tempo real e, na maioria das vezes, de forma gratuita.

 

O Pix poderá ser utilizado de diferentes maneiras. De acordo com o Banco Central, as operações são as seguintes:

 

  • Entre duas pessoas;
  • Entre uma pessoa e estabelecimentos comerciais;
  • Para entidades governamentais (impostos e taxas);
  • Entre estabelecimentos.

 

No entanto, como as operações serão feitas ainda é uma dúvida que pode existir entre os seus usuários. Confira a seguir como você poderá utilizar o Pix no seu dia a dia.

 

Leia também o artigo sobre o assunto Você sabe qual a importância de uma contabilidade para sua ONG ou Associação?

 

Como serão feitas as operações?

De acordo com o Banco Central, as operações poderão ser feitas pelos usuários de várias formas dentro do Pix. Acompanhe a seguir quais são:

 

  • Por meio de dados bancários;
  • Utilizando uma chave Pix;
  • Por meio de um QR Code.

 

A primeira opção se assemelha com as opções como TED e DOC, nas quais deve-se informar os dados bancários do recebedor.

 

Contudo, as outras opções são particularidades do próprio Pix. Conheça a seguir como funciona cada uma delas.

 

O que é uma chave Pix?

As chaves Pix, de acordo com o Banco Central, funcionam como um apelido que representa uma conta no Pix. Os usuários podem cadastrá-las de diferentes maneiras, como:

 

  • CPF;
  • CNPJ;
  • E-mail;
  • Número do telefone;
  • Chave aleatória.

 

Deste modo, a chave Pix funcona como a informação crucial que possibilita a realização de uma operação. Com isso, basta somente fornecer a chave do recebedor.

 

Sendo assim, pessoas físicas podem registrar até 5 chaves por conta, enquanto isso, as pessoas jurídicas podem ter até 20 chaves.

 

Acompanhe também o nosso artigo sobre o assunto Plano de ação para empresas: O que é e como desenvolver?

 

QR Code

Uma outra opção para a realização de operações bancárias por meio do Pix é realizando a leitura de um QR Code.

 

Segundo o Banco Central, o usuário tem à sua disposição duas opções de QR Code, o estático e o dinâmico.

 

Enquanto a primeira opção é utilizada para múltiplas operações, a segunda é recomendada para o pagamento de compras.

 

Portanto, você acabou de obter as principais informações sobre o Pix e tudo o que ele traz de novidade! Para acompanhar outros artigos, aproveite para acessar o nosso blog e conferir o nosso conteúdo!

Nenhum comentário

Postar um comentário