Minha Igreja nunca teve uma contabilidade: o que devo fazer?

minha-igreja-nunca-teve-uma-contabilidade-o-que-devo-fazer

Minha Igreja nunca teve uma contabilidade: o que devo fazer?

Você sabia que as instituições religiosas precisam ter à sua disposição os serviços de um escritório contábil? Com isso, o que fazer com uma igreja que nunca teve uma contabilidade?

 

É importante ressaltar, em primeiro lugar, que as igrejas estão isentas do pagamento de impostos. No entanto, ainda assim, elas possuem as suas devidas responsabilidades.

 

Ou seja, é possível que uma igreja possa estar funcionando normalmente sem estar regularizada, nem cumprindo com as suas obrigações. É o que determina as necessidades dos serviços de um escritório contábil.

 

Desse modo, as igrejas que nunca tiveram uma contabilidade podem, atualmente, se encontrarem de maneira ilegal. Com isso, elas acabam estando sujeitas à multas e outras consequências para os seus gestores.

 

Portanto, se a sua igreja nunca teve uma contabilidade, leia este artigo! Continue acompanhando cada item abordado aqui e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto.

 

E se a minha igreja nunca teve uma contabilidade?

Atualmente, pode ser alto o número de igrejas que atuam de maneira irregular, sequer cumprindo as suas responsabilidades.

 

Sendo assim, aquelas igrejas que nunca tiveram uma contabilidade podem estar funcionando sem ter alguns documentos obrigatórios, como por exemplo o CNPJ.

 

Desse modo, é indispensável que todo administrador de uma instituição religiosa se certifique, antes mesmo de abrir a sua igreja, de contar com o auxílio de profissionais contábeis. Relacionamento, inclusive, que não se restringe apenas ao momento de abertura.

 

Isto porque toda igreja deve cumprir com algumas exigências e o apoio de uma contabilidade é fundamental.

 

Portanto, um serviço contábil pode atuar na abertura de uma igreja, na sua regularização e manutenção. No entanto, existem algumas diferenças entre ambos os processos. Conheça agora como diferenciá-los.

 

Legalizar x regularizar uma igreja

O papel de uma contabilidade em uma igreja é de extrema importância para que ela se mantenha funcionando de maneira legal.

 

Desse modo, legalizar uma igreja diz respeito à sua apresentação aos órgãos competentes do Brasil. É o mesmo processo de abrir uma igreja de maneira judicial.

 

Sendo assim, precisamos concordar que este processo demanda bastante conhecimento técnico, o que torna indispensável o auxílio de uma contabilidade em favor de uma igreja.

 

Do outro lado, regularizar uma igreja significa que, após a sua legalização, ela precisa manter a sua contabilidade em dia. Com isso, uma igreja regularizada é aquela que não apresenta pendências com os órgãos fiscalizadores.

 

Portanto, é de extrema importância que uma igreja que nunca teve uma contabilidade saiba destes processos! Afinal de contas, ela está colocando em risco o seu funcionamento.

 

Obrigações de uma igreja

Como você já deve ter ouvido falar ou sabe, as igrejas são consideradas instituições isentas ao pagamento de tributos sobre as suas doações. Assim como também ao envio de suas obrigações ao Governo.

 

No entanto, as igrejas possuem sim as suas exigências. Elas precisam, obrigatoriamente, apresentar as suas obrigações acessórias.

 

É fundamental ressaltar que até mesmo as igrejas que não apresentam nenhuma movimentação também devem se manter em dia com todas as suas exigências.

 

Dessa maneira, quando uma igreja não cumpre com as suas responsabilidades, elas estão sujeitas à cobrança de multas, além de ter os seus registros inaptos.

 

Portanto, toda e qualquer igreja deve apresentar algumas obrigações perante ao Governo. Veja a seguir alguns dos principais exemplos:

 

  • E-Social;
  • Escrituração Contábil Fiscal (ECF);
  • Declaração do Imposto de renda na Fonte (DIRF);
  • Escrituração Contábil Digital (ECD);
  • Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF);
  • Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED);
  • Relação Anual de Informações Sociais (RAIS);
  • Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (SEFIP).

 

Ou seja, qualquer que seja a obrigação acima, quando uma igreja não a apresenta, o seu funcionamento pode estar correndo riscos.

 

Até mesmo aquelas igrejas inativas devem apresentar as suas obrigações. Uma igreja inativa diz respeito à quando ela não realiza nenhuma atividade, seja de qualquer tipo, financeiro ou operacional, em um ano.

 

Sendo assim, se uma igreja, dentro do prazo de um ano, realizou o pagamento, por exemplo, de uma conta de água, ela não pode ser considerada uma igreja inativa.

 

Minha igreja nunca teve uma contabilidade, e agora?

Se a sua igreja nunca teve uma contabilidade, chegou a hora de contar com o suporte de profissionais contábeis!

 

Lembre-se sempre que uma igreja funcionando de maneira irregular pode apresentar um testemunho que não condiz com os seus princípios.

 

Portanto, entre em contato agora com uma contabilidade e tenha à sua disposição um serviço que atue ao seu lado!

 

Para mais artigos como o que você acabou de ler, acesse nosso blog e redes sociais acompanhe todo o nosso conteúdo.

 

Nenhum comentário

Postar um comentário