CRM médico: principais dúvidas sobre o assunto

crm-medico-duvidas

CRM médico: principais dúvidas sobre o assunto

Para atuar como médico no Brasil, não basta ter um diploma de uma faculdade de medicina! É preciso obter, dentre outras licenças, o CRM médico.

 

Esse código é exatamente aquele que aparece no carimbo do profissional que te fornece uma receita, bem como no seu crachá e às vezes até no seu jaleco. Sempre que um profissional da saúde assinar um documento referente ao seu ofício, ele deve acompanhar o carimbo com seu código do conselho regional.

 

Para entender mais detalhes sobre o CRM médico, desde o significado da sigla até o passo a passo para obtê-lo, leia com bastante atenção este conteúdo que produzimos!

 

Esperamos que você aprecie a leitura!

CRM médico: o que é esse registro?

O CRM médico é o registro do Conselho Regional de Medicina. Essa entidade, que está presente em cada unidade federativa brasileira, é vinculada ao Conselho Federal de Medicina (CFM), que é o órgão máximo da categoria médica no Brasil.

 

Enquanto o CFM cuida de questões mais amplas da profissão em todo o território nacional, cabe a cada CRM controlar o cadastro de profissionais da medicina em cada canto do país.

 

Essa regulamentação também está presente em outras categorias chamadas de “profissionais liberais”, como a OAB para advogados, o CREA para engenheiros e agrônomos, o CRAU para arquitetos e urbanistas e assim por diante.

 

Todo indivíduo que é médico de formação (e deseja exercer a prática medicinal) deve obter o registro na categoria. 

 

É mais uma burocracia, mas ela é necessária! Se você já possui o CRM médico como pessoa física mas está se formalizando como PJ, saiba também que você precisa fazer o registro da sua empresa no mesmo órgão!

 

Leia mais sobre esse assunto: PJ médicos – Quando é necessário ter inscrição nos conselhos de classe?

De que documentos eu preciso para tirar meu CRM médico?

Muitos graduandos em medicina já pensam em tirar o CRM médico o mais rápido possível depois de finalizarem a faculdade. No entanto, não é só do diploma que você precisa para fazer o cadastro. Confira a seguir a documentação necessária:

 

  • Diploma original (e uma cópia autenticada) do curso de graduação em medicina reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação) e pelo CFM;
  • Documento de identidade que contenha CPF, mais uma cópia;
  • Título de eleitor (e cópia) junto do certificado de cumprimento das obrigações eleitorais;
  • Certidão de reservista ou dispensa militar, com a cópia (para homens, apenas);
  • Comprovante de pagamento do boleto do CRM;
  • 3 cópias de uma foto 3×4 com fundo branco.

 

Leia também: Planejamento financeiro e tributário para clínica médica: como fazer?

Quais são os percalços para obter o CRM?

O principal “obstáculo” para se obter o CRM médico é o custo de entrada. Seu valor varia bastante de acordo com o estado brasileiro em que você irá exercer a profissão! Os gastos iniciais cobrem a anuidade (proporcional ao tempo restante que há no ano), a carteira médica, o documento de identificação e a taxa de inscrição.

 

Esse investimento inicial, somado, pode chegar a mais de R$ 600,00. Além dele, porém, todo médico deve pagar a anuidade do CRM. Na maior parte dos estados brasileiros esse valor é de R$ 772,00, mas pode sofrer reajuste anualmente.

 

Além dos gastos com que um jovem profissional da saúde tem que arcar, esse processo ainda pode levar alguns dias. A depender da agilidade de cada órgão em diferentes estados, ele pode durar em torno de uma a duas semanas.

Existe algum tipo de prova para obter o registro de médico?

Pelo menos uma preocupação a menos o graduando em medicina tem em relação à obtenção do CRM médico, que é a realização de algum tipo de prova. Enquanto os advogados precisam fazer a prova da OAB para exercer a profissão no Brasil, essa exigência não é feita para os médicos brasileiros.

 

Afinal, para quem tem que lidar com provas e concursos de especialização depois de se formar, ter que estudar também para uma prova do CRM seria loucura, não é verdade? Apesar disso, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) chegou a tentar criar uma prova desse tipo, mas a Justiça determinou que não era necessário.

 

No entanto, não é qualquer pessoa formada em medicina que pode obter o CRM médico. Como você pode ter ouvido falar na época das polêmicas do programa Mais Médicos, pessoas com diplomas obtidos no exterior têm que fazer uma prova de validação dos seus conhecimentos profissionais.

 

Parece muita burocracia para um trabalhador da saúde enfrentar, não é verdade? Além disso, muitos médicos ainda preferem se formalizar como PJ, o que traz várias vantagens, mas também um monte de burocracia. Que tal lidar com isso sem estresse?

Exerça sua profissão sem preocupações com apoio de uma contabilidade!

Trabalhar como médico não é fácil, especialmente em um país como o Brasil, onde a demanda por serviços de saúde está quase sempre em alta.

 

Se você quer exercer sua profissão sem precisar lidar com as burocracias financeiras, contábeis e tributárias da gestão da sua clínica ou consultório, a melhor solução é contar com apoio de uma contabilidade especializada. Sendo assim, venha conhecer o trabalho da Mercantil Assessoria Contábil!

 

Somos uma empresa com ampla experiência em atender médicos e outros profissionais da saúde, ajudando com processos complicados, desde a obtenção do CRM até a criação do CNPJ. Quer conhecer os nossos serviços voltados para o seu setor? Entre em contato conosco!

 

Gostou do artigo? Aproveite para conhecer o nosso blog e as nossas redes sociais para conferir novos conteúdos! Leia também: Contabilidade para clínicas médicas em Brasília – Conheça as soluções da Mercantil.

Nenhum comentário

Postar um comentário